Pular para o conteúdo principal

Gestão Proativa em tempos de Covid

Viver um momento de crise é desafiador para qualquer líder ou gestor. O sucesso da sua administração vai depender de como você está se preparando para os desafios diários, e nada melhor do que um tempo de qualidade consigo mesmo para refletir sobre os rumos que você deseja tomar na sua gestão.


Há uma máxima que diz que "na crise surgem as maiores oportunidades de mudanças e melhorias", e os grandes líderes estão sim aproveitando esse tempo para colocar o serviço em ordem. Para não paralisar no tempo e aproveitar esse momento, gostaria de propor uma reflexão sobre o uso do seu tempo como líder e depois apresentar algumas sugestões para condução da sua equipe.


1) Comece pela análise SWOT:

SWOT é um acrônimo para Stregth (Força) Weakness (Fraqueza) Opportunities (Oportunidade) e Threat (Ameaça). Para realizar essa análise você deverá dividir uma folha de papel em 4 quadrantes e escrever nela sobre cada um desses itens de acordo com a sua realidade atual. Você pode inclusive fazer uma análise para cada papel que exerce (gestor financeiro, gestor de equipe, líder, mentor da equipe e por ai vai). Essa análise irá fazer com que você se situe sobre o seu estado atual e as oportunidades de ação daqui em diante.



2) Estabeleça a estratégia de administração da sua Serventia a começar de um Brainstorming Pessoal.

Não importa qual é o seu papel na serventia. Você pode ser líder de um setor, oficial substituto ou tabelião. Sempre que você estiver num papel de gestão será necessário traçar um planejamento estratégico para a sua atividade.

Considerando a análise SWOT já realizada e a missão, visão e valores da sua serventia, faça um brainstorming sobre "como prestar melhores serviços", "como gerar valor para as pessoas ao meu redor" e "como faturar mais" durante o período da COVID. Lembre-se que é necessário realizar mudanças locais para alcançar o global e não o inverso. Não adianta querer mudar o mundo se você não for capaz de mudar a realidade que está no seu entorno: Colaboradores, clientes, fornecedores etc.



3) Assuma o seu papel de gestor e líder.

Há muito tempo tenho pregado que os delegatários de serventia extrajudiciais não exercem uma função meramente jurídica e que é necessária a adoção de uma visão pioneira sobre os assuntos de gestão. Um dos benefícios que a crise tem proporcionado a muitos delegatários e prepostos de serventias extrajudiciais é a percepção de que se organizarem bem a sua agenda é possível dedicar mais horas à gestão sem qualquer peso na consciência.
Agora é tempo de investir em conteúdos que possam facilitar a nossa compreensão sobre temas de gestão e qualidade.



Espero que com essas três dicas sobre como melhorar a sua gestão e o uso do seu tempo como líder você possa alcançar maiores resultados. Se você gostou ou tem alguma dúvida, compartilhe comigo nos comentários que eu terei o maior prazer em interagir com você!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Convite para mais de um mês de aulas com temas sobre o extrajudicial baiano!

 Olá, tudo bem? Estou feliz em poder compartilhar com vocês uma novidade interessante! Estamos lançando juntamente com alguns colegas um evento especial onde iremos fazer uma grande revisão sobre aspectos importantes do Código de Normas Extrajudiciais da Bahia. Queremos convidar vocês para participar desse evento é gratuito e online! Para participar basta acessar os links abaixo no dia e hora agendados. Para não perder nenhuma aula, siga o canal e ative as notificações. Quando entrarmos ao vivo você receberá uma mensagem no seu celular! AGENDA DE LIVES 03.06 Registro de Nascimento, Casamento e Óbito Valéria Tanús Lopes https://youtu.be/UJWY9P1Vuak 10.06 Certidão de inteiro teor e LGPD - Geovana Dourado https://youtu.be/NOWu1PXg_c8 17.06 Registro Tardio - Emília Belmonte https://youtu.be/STtouCRxge0 24.06 Retificações, restaurações e suprimentos - Geovana Dourado https://youtu.be/Sd13zY1lajY 01.07 Averbações - Alteração de Patronímico - Ana Carolina de Abreu https://youtu.be/nPjDKy0Veig

Super Case: Retificação Extrajudicial de Regime de Bens pelo Art. 110 da Lei de Registros Públicos.

Introdução Atendi por videoconferência um cliente que recebeu a sua certidão de casamento com informação omissa. No campo do regime de bens constou a expressão “COMUNHÃO DE BENS”.   Alegava que ao invés da expressão, deveria constar o regime da “COMUNHÃO UNIVERSAL DE BENS”. Pleiteava ser um erro material, tendo em vista que a omissão, sem dúvidas, corresponderia ao regime da Comunhão Universal. Não só isso: possuía segunda via do Pacto Antenupcial lavrado em notas à época do casamento. Nele constava a informação de que o regime escolhido pelos nubentes era o da "COMUNHÃO UNIVERSAL DE BENS". Não possuía certidão de inteiro teor da habilitação de casamento porque esta não foi localizada nos arquivos do cartório celebrante (o meu). Alegou, por fim, a existência de uma ressalva na certidão que causou estranheza. No campo das observações/averbações constava: “Ressalva para o regime de bens que deve ser lido como “COMUNHÃO DE BENS” conforme escritura pública lavrada nas notas do

Posso emitir uma certidão depois que o registro é cancelado por decisão judicial?

    É possível emissão de certidão de nascimento de registros cancelados? Advogados e clientes se surpreendem quando recebem a informação de que um determinado termo ou assento não consta nos registros do cartório. Assim também os próprios oficiais se perguntam: posso emitir uma segunda via quando o registro de nascimento ou casamento está cancelado? E se o registro for de óbito? O que deve ser feito? É preciso autorização judicial para a emissão da certidão? Para isso, cabe inicialmente definir o contexto do cancelamento. Segundo Vitor Kümpel,   o cancelamento do registro é a averbação feita pelo registrador ou preposto autorizado consignando a perda dos seus efeitos legais perante terceiros, consiste em elidir o registro, retirar todos os efeitos e extinguir o direito nele referido. Efetiva-se por averbação extintiva de um direito, feita à margem do assento a ser cancelado. [1] Já Alberto Gentil assevera que   Em regra, exige-se, para averbação de Cancelamento, que haja p